segunda-feira, 23 de abril de 2012

Desenrola na Madrugada


Sei que faz tempo que não escrevo nada aqui, mas são 03hrs e 22 min da manhã e não tenho nenhum sono. Eu tava ali na sala, vendo tv; tava assistindo Desenrola, o filme.
Acho que boa parte das garotas deviam assistir, mesmo. Vendo a história da Priscila, comecei a pensar em todos os meus desastres amorosos, tudo o que já foi passado pelo lado afetivo da minha cabeça...
Agora, de repente senti vontade de nunca ter me apaixonado e talvez, nunca ter ficado com determinados meninos. Sei lá, tudo pareceu tão sem sentido. Talvez se eu não tivesse ficado com fulano, eu não teria me apaixonado e não teria sofrido! Talvez se eu tivesse me preocupado mais com coisas fúteis, o amor simplesmente apareceria. Eu não esperaria por ele ansiosamente.
Acabei de olhar pro meu celular: nenhuma mensagem fofa, nenhuma ligação e nenhum admirador. Fui ouvir música, mas também não deu certo... Comecei a lembrar de certos rostos, sorrisos e senti saudade de quem não devia. Ainda não sei definir o que to sentindo agora... Talvez seja inveja da Priscila, ou carência mesmo. Não sei. À essa altura pode ser qualquer coisa.
Fiquei aqui pensando: e se eu tivesse um namorado, veria esse filme de uma outra forma? Pensaria diferente?
Meu Deus! As vezes acho que estou ficando paranoica... Eu tenho 16 anos, 3 paixões (platônicas ou não...) e to aqui, reclamando a falta de alguém que me mande algum sms romântico no meio da madrugada. Eu sei, parece drama... Mas e quem nunca se sentiu assim?
Pode ser que eu esteja apaixonada agora. E se eu realmente tiver amando alguém, ele também pode não merecer esse amor. Ou... ele pode me amar em segredo, não sei. To me sentindo a coisa mais bocó e clichê do mundo, uma bobona sozinha em plena madrugada escrevendo coisas que não dizem nada com nada. Uma palhaça cheia de olheiras que passa o dia se entupindo de cafeína. É isso aí, uma dramática.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comenta, fia!