segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Obrigada, Clarice.

Hoje, enquanto viajava em um total tédio, decidi ler um pouco. Trouxe três livros, meus preferidos. *-*


São os últimos que eu comprei, mas até agora eu só tinha lido alguns textos de Feliz por nada e um pedaço de Mil dias em Veneza.
Hoje decidi ler um texto do livro da Clarice, ai folheei sem pretensão alguma, li um título que me chamou bastante atenção: É para lá que eu vou, me lembrou muito os textos que eu costumo escrever aqui no blog. Parecia tão pessoal e tão a minha cara... Fui logo lendo!


" Onde expira um pensamento está uma ideia, ao derradeiro hálito de alegria uma outra alegria, à ponta da espada a magia - é para lá que eu vou. 
Ou não vou? Vou, sim. E volto para ver como estão as coisas. Se continuam mágicas. 
Realidade? eu vos espero. É para lá que eu vou."

Espero poder postar o texto todo logo, logo! É incrível, faz a gente se identificar com tudo o que está escrito. Me encantei, me imaginei e me perdi em meio ao efeito dessas palavras sobre mim. Era como se cada palavrinha tivesse sido escrita para mim.
Clarice, minha querida, obrigada por tais palavras encantadoras e descritivas. Obrigada por tudo, pelas inspirações e pelo sentimento de amizade que se faz em todo mundo ao ler um texto seu.

Obrigada, Clarice.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comenta, fia!