sexta-feira, 29 de julho de 2011

Um longa história sobre estilo


  Eu tinha seis anos de idade e um cabelo enorme, adorava ele, era bonito, brilhante e o melhor de tudo, ele chamava a atenção de todos! Em um momento de loucura decidi cortá-lo, cortei na altura do ombro, me arrependi.
  Aos oito anos eu comecei a me interessar por maquiagem, penteados diferentes e alguns acessórios que passaram a me encantar. E por fim, aos nove anos de idade eu entrei para o mágico mundo conhecido como moda, eu comecei a reparar melhor nas roupas que usava e tive a certeza de que já não era mais preciso minha mãe escolher minhas roupas, decidi que a partir daquele dia eu iria escolher minhas próprias roupas e sapatos e iria aprender a não ir pelas modinhas da época como sandálias da Xuxa, da Sandy e muitas outras que existem até hoje.
  Depois de decidir que iria me aprofundar no meu estilo, eu achei que seria melhor descobrir qual seria e depois de tanto pensar, experimentar e procurar estilos diferentes, eu encontrei o meu. Meu estilo não tinha nome, não tinha categoria e o que é pior, não tinha nem definição. Eu decidi que iria usar coisas que me fizessem bem e que combinassem comigo, não, eu não era super fashion, não era a garota da moda e muito menos aquela em que as outras meninas se inspiravam, eu era só a garota que usava roupas normais tentando ter um estilo próprio.
  Aos onze anos eu já tinha um nível controlado na hora de me vestir, usava roupas simples como todo mundo, mas o tempo foi passando e a vontade de ser e mostrar que eu queria ser diferente foi aumentando cada vez mais. Em 2008, aos doze eu me mudei de São Paulo para o Paraná (onde eu moro atualmente), aqui eu pensei que como ninguém me conhecia ainda eu poderia me vestir diferente, poderia ser diferente e acabei tentando algumas vezes, mas no final nem eu mesma gostei. Deixei esses desejos malucos guardados lá no fundo do baú, imagina se eu iria jogá-los fora, né. Entre os treze e os quatorze anos eu comecei a ler revistas como Capricho, TodaTeen, Atrevida e LoveTeen. Foi com essas revistas que eu aprendi um pouco mais sobre estilo e decidi abrir o baú e retirar aquele desejo, aos poucos eu fui tentando e descobri que o meu estilo sou eu mesma que faço, sou eu quem o define e o alimenta. Eu não precisava de ninguém dizendo se tinha gostado ou não da minha blusa nova ou se achavam minha meia calça preta esquisita!
  Hoje eu faço e visto o que me dá na telha, se eu colocar e gostar, vou usar e pronto. Compro as roupas que eu acho mais legais, os sapatos que mais combinam comigo e uso a maquiagem que cair bem em determinado dia.
   É assim, estilo ninguém tem, agente cria, inventa e imagina.
   E essa é a longa história sobre minha aventura para descobrir o meu estilo que eu ainda não sei qual é.

2 comentários:

  1. ninguem merece sandalia da xuxa afs minha mae me dava a coleçao enteira se eu quisece mt feia e.e

    ResponderExcluir
  2. Verdade kkk'
    Eu era fã, tinha da Xuxa, da Sandy (aquelas que vinham com relógio) e muitas outras do gênero...

    ResponderExcluir

Comenta, fia!