quinta-feira, 7 de julho de 2011

E o príncipe virou um sapo.


Eu estava apenas começando um conto de fadas, ele era o garoto mais fofo que poderia ter conhecido. Um garoto gentil, carinhoso, educado... Enfim, era um verdadeiro príncipe!
Não, ainda não nos beijamos, até esse dia. Conversávamos todos os dias, trocávamos abraços, cartas e até andávamos de mãos dadas!
Talvez ambos sentissem medo do que poderia acontecer depois do tão esperado beijo de amor, talvez estragasse tudo; o amor, as conversas e principalmente nosso relacionamento que era um dos mais fofos que eu já tinha visto. Ou talvez, ainda não fosse a hora certa!
Estávamos sentados na varanda da minha casa conversando sobre nós, enquanto me ouvia falar ele acariciava meu cabelo com uma mão e me envolvia em um leve abraço com a outra, depois de horas falando eu decidi ficar em silêncio e deixá-lo falar. Eu me virei para olhá-lo e ele fez o mesmo, ficamos um bom tempo assim, nos encarando até que ele começou se aproximar e eu fiquei intacta, não sabia o que fazer e minhas mão começaram a suar, suavam muito e meu coração batia cada vez mais rápido, fechei os olhos.
Foi como se tudo tivesse desaparecido, eu já havia ficado com outros garotos antes mas com ele era diferente, enquanto nos beijávamos eu sentia como se houvessem milhares de borboletas em meu estômago, eu abri meus olhos, ele me olhava e sorria. Perguntei o porquê daquele sorriso e ele apenas sorriu mais uma vez e me abraçou, esse abraço foi diferente, foi especial.
Depois de todo o acontecido ele foi embora e eu me tranquei em meu quarto, passei o resto da tarde relembrando meu dia maravilhoso e acabei dormindo. Quando acordei estava feliz e pouco tempo depois meu telefone tocou. Era ele me desejando um bom dia e avisando que pouco antes do entardecer viria me buscar pra um passeio, eu aceitei, é claro. Passei a manhã toda escolhendo a roupa perfeita para encontrá-lo, afinal, estava na cara que ele finalmente iria assumir nosso namoro, apesar de andarmos de mãos dadas e ele frequentar minha casa, ainda não eramos um casal de namorados, não oficialmente.
Eram umas quatro horas da tarde quando ouvi o toque da campainha e corri para atendê-lo, assim que abri a porta ele me puxou pelo braço, me deu um beijo na testa e saímos. Ele me levou pra uma pracinha que não ficava muito longe de casa, nos sentamos e ele começou a me olhar, eu esperava ansiosa o momento em que ele se aproximaria e me beijaria, mas ele ficou um bom tempo me olhando e então respirou fundo, olhou pra baixo e disse palavras que eu jamais imaginei ouvir, pelo menos não da boca dele... Ele disse tudo bem devagar: " Não podemos mais ficar juntos. Depois de sair da sua casa fiquei relembrando nosso beijo e percebi que não devia ter feito isso, não era pra ser assim. Eu gosto de estar com você e gosto de como nos dávamos bem, mas apesar de tudo o que já passamos eu não posso ter esse tipo de relacionamento com você..." Eu não aguentei ouvir o final, eu não quis deixá-lo terminar o que dizia, qual é? Eu me apaixonei por ele e ao que parecia, ele também! O que aconteceu? Eu beijo mal por acaso? E por que ele sorriu quando nos beijamos? Foi ele quem quis isso, não eu. Eu olhei profundamente em seus olhos e não consegui encontrar ali aquele príncipe que um dia me abraçou e disse que eu era especial, tudo o que encontrei foi um garoto egoísta que eu jamais conheci. Procurei não querer saber o motivo de tudo aquilo, simplesmente me levantei, virei as costas e fui embora segurando ao máximo as lágrimas que tentavam cair. Cheguei em casa e corri para o quarto, chorei até as lágrimas se acabarem e tomei uma decisão. Não quero mais me apaixonar, não quero me iludir, serei auto-suficiente à mim mesma. Ficar com outros garotos? Claro que sim, ficarei e depois os abandonarei, não quero mais beijar sapos, não quero criar príncipes. Cada vez que um idiota disser que sou especial vou rir da cara dela, afinal eu já aprendi muito. Aprendi que os príncipes podem se tornarem sapos de vez em quando e que nada muda completamente.
Eu aprendi que a única pessoa que pode se importar comigo e me amar de verdade sou eu, eu vou aprender a me virar, vou aprender a viver comigo mesma.
Vou aprender a viver sem ilusões e não criar expectativas. Enfim, vou aprender tudo o que for preciso pra ser feliz sem depender de ninguém.

2 comentários:

Comenta, fia!